Ensine a Criança a lidar com frustrações

Postado em 12 de agosto de 2014 Por Em Comportamento E 2416 Visualizações

Ensine a criança a lidar com frustrações

Ensine a criança a lidar com frustrações

Por terem vivido pouco, as crianças ainda não estão preparadas e nem sabem lidar com as decepções e frustações da vida. Psicoterapeuta explica como é possível preparar os pequenos para serem mais fortes e resilientes no enfrentamento de momentos adversos.

Ensine a Criança a lidar com frustrações

Muitos psicólogos, terapeutas, psiquiatras e outros especialistas que estudam o comportamento humano concordam quando dizem que as crianças de hoje estão muito mimadas. Como forma de compensação pela ausência, e até mesmo como artificio para livrarem-se de certas “dores de cabeça”, os pais mimam muito os filhos, criando assim uma atmosfera onde tudo parece mais fácil para as crianças. Em certos casos, os adultos parecem deixar os pequenos soltos, para fazer o que der vontade. Dizer “não” parece que caiu em desuso.

Quando as crianças são criadas sem que haja a imposição de certos limites, elas podem não estar prontas para enfrentar momentos adversos da vida como, por exemplo, as frustrações. Nem sempre tudo acontece da forma que queremos e não se pode ter tudo sempre. Essa é uma realidade que precisamos enfrentar quando jovens. “A criança precisa ser preparada para superar as frustações. Ela precisa entender que nem tudo é como ela quer e que, às vezes, a realidade pode ser difícil. Quando educamos sem que a criança saiba quais são os limites, estamos criando adolescentes rebeldes e, posteriormente, adultos infantilizados, com problemas de adaptação, despreparados para a vida. Numa casa onde há disciplina, a criança se sente amada e acolhida, o que é muito saudável para desenvolvimento”, explica a psicoterapeuta Maura de Albanesi.

 

A infância e adolescência são as primeiras fases da vida, e são nelas que começamos a moldar nosso caráter, a nossa identidade. São nesses momentos que as crianças mais precisam da presença dos pais, pois existem muitas novidades acontecendo. Os primeiros amigos na escola, as primeiras paixões, as primeiras viagens, as primeiras festas e, consequentemente, as primeiras frustações, ou seja, tudo exige dos jovens uma postura caso as coisas não aconteçam da forma desejada. Se eles não forem bem preparados, vão sofrer. É necessário ter em mente que ficarão adultos e passarão por momentos adversos da vida, e educá-los com a percepção de que a decepção é algo normal fará deles crianças mais maduras e fortes. “Quem aprende a superar as frustações na infância certamente, quando adulto, tem mais chances de êxito no enfrentamento dos desafios e medos, seja no campo profissional quanto no pessoal”, explica Maura.

Saindo fortalecido das situações

Resiliência: Essa é uma capacidade que podemos ter para vencer as dificuldades e se transformar por causa delas. Uma pessoa resiliente é mais flexível, possui autocontrole, iniciativa, autonomia, coragem, determinação e maior capacidade de sociabilização. Essa é uma postura que as crianças podem desenvolver com ajuda dos pais ou de qualquer responsável. “Desde cedo a criança deve ser ensinada a ser mais resiliente. Quando a criança aprende que não pode ter tudo e que nem tudo é como ela quer, o seu cérebro é treinado para saber como se comportar diante de adversidade e tirar dessas situações grandes aprendizados”, explica a psicoterapeuta.

Com ajuda de algumas dicas da psicoterapeuta, saiba como preparar as crianças para enfrentar as frustações e serem mais resilientes.

– Proponha desafios: Encontre oportunidades e situações que estimulem a criança. Peça para que ela faça coisas que vão além do que já foram capazes de executar. No entanto, enfatizem a importância de continuar tentado algo difícil, mesmo que o êxito ainda não tenha chegado.

– Estimule a independência: Certifique-se de que a criança tenha a oportunidade de brincar e se relacionar com outras, sem que haja a supervisão de adultos. O adulto deve ser responsável por manter a criança segura, mas fora isso, tente deixá-la resolver seus conflitos sem interferir.

– Diga “Não”: Ao dizer não, os pais determinam limites. Esse é o primeiro passo para que as crianças aprendam que não podem ter tudo. Nesse momento, é muito importante tomar cuidado para que o “não” vire “sim”, ou seja, os pais devem avaliar muito bem o motivo de falar “não”. Esta atitude evita que se tornem jovens inconsequentes, sem a noção de limites.

– Ensine a esperar: Ajude a criança a lidar com a espera. Explique que para se ter certas coisa é necessário ter paciência, pois tudo tem seu tempo.

– Fale sobre a vida: De maneira didática, tente explicar para criança que o mundo não é 100% lindo. Em certas situações, a vida é dura e devemos estar preparados. Deixe claro que não temos controle sobre certos aspectos. Um dia iremos nos decepcionar, sofrer, ficaremos tristes, porém, tudo é passageiro e faz parte de um grande aprendizado.

Fonte: Maura de Albanesi é Psicoterapeuta, Pós-Graduada em Psicoterapia Corporal, Terapia de Vivências Passadas (TVP), Terapia Artística e Psicoterapia Transpessoal, além de possuir Mestrado em Psicologia e Religião pela PUC. www.nucleorenascimento.org.br